Hoje vou falar mais afundo sobre o navio em sí, o que ele oferece, o que tem para fazer, embarque desembarque… etc. Espero que as informações deste post sejam úteis para quem está indo viajar!

O embarque…

Antes de falar como foi dentro do Navio, quero voltar um pouquinho e contar como foi o embarque. Bom, como contei no post sobre Miami, nós estávamos com um carro alugado e optamos por despachar as malas no porto antes de entregar o carro (essa não foi uma idéia muito boa porque perdemos muito tempo, veja o post Miami #1 ou leia mais abaixo o trecho que falo sobre isso). Então estacionamos o carro e levamos nossas 3 malas para despachar. O navio não limita a quantidade nem o peso da bagagem, mas por experiência própria eu aconselho a vocês: não levem mais do que duas malas. Chegando no local achamos o cenário beeeem confuso. Primeiro: muita gente. Segundo: não tinha fila, ficava todo mundo misturado. Terceiro: você despacha a bagagem do lado de fora. O esquema é o seguinte: uns caras grandões, fortões e sem credencial da Royal Caribbean colocam suas malas num carrinho junto com várias outras malas. Colocam uma etiqueta escrita à mão mesmo com base no número do seu quarto (que eles olham no seu voucher) e pronto. Beijo, tchau! Ah, mas não sem antes dar uma gorjeta de uns 10 dólares, no mínimo, para o cara que te atendeu, porque se der menos eles te olham torto. Ficamos meio desconfiados deste esquema (coisa de brasileiro talvez…) mas acabamos relaxando porque tinham uns policiais do porto por ali e tooodos os passageiros estavam despachando suas bagagens desta mesma forma. Bom, quando deu a nossa hora (obs: depois que despachamos as malas, fomos entregar o carro e voltamos de shuttle para embarcar – se quiser mais infos sobre isso leia o já famoso post sobre Miami), fomos para a fila do raio x, passamos por ele e pelas autoridades americanas e logo entramos no saguão de embarque, com vários guichês da Royal, separados por decks. É só entrar na fila correspondente ao seu deck que eles te dão seu cartão magnético de bordo (que será seu Best Friend dentro do navio) e se você quiser, já registra seu cartão de crédito vinculado a ele, para as compras dentro do navio. Você não usa dinheiro e nem cartão de crédito dentro do navio, absolutamente TUDO – até o cassino – você paga com seu cartão de bordo. Daí pra frente é só alegria!!!

Trecho do Post Miami #1 em que falo sobre a entrada no porto de Fort Lauderdale:

“ATENÇÃO!!! O porto de Fort Lauderdale é beeem grande e para entrar, cada veículo passa por umas cabines tipo de pedágio (você não paga nada para entrar, é só uma conferência de documentos). É algo feito para a segurança e organização da entrada do porto, porém, em dias de maior movimento (sábado é um desses dias), há filas grandes e o transito no entorno não é dos melhores. Programem-se para chegar com antecedência, principalmente se ainda tiverem que entregar o carro na locadora, pois as locadoras de carro ficam FORA do porto de Fort Lauderdale, o que complica um pouco a logística. Pensem só: quando chegar na locadora, o funcionário tem que vir fazer a vistoria do carro para ver se está tudo ok, aí você tem que aguardar o shuttle da locadora que vai te levar para o porto e que geralmente passa de 30 em 30 minutos, mas como são vans, nem sempre há lugar para as malas de todos que estão aguardando na fila, então pode ser que você só consiga pegar o próximo. Daí você pega o shuttle, mas o transito em dias de embarque no porto não é dos melhores, então você já perde mais algum tempo no transito antes de entrar no porto… enfim! É bom chegar com uma boa antecedência para não ficar preocupado com o horário de embarque no navio!”

Bem-vindos à bordo!!!

Bom, para começar, todos os dias depois de arrumarem sua cabine, os camareiros deixam um folheto com TODAS as atividades que acontecerão no dia seguinte… gente! Tem de tudo! Desde Quiz até Ioga no Heliporto… é uma loucura, muita atividade! Mas não somos muito fãs dessas atividades e procurávamos fazer programações menos coletivas… rs! Mas fizemos varias programações sociais. Inclusive, uma das coisas legais de se estar em um cruzeiro é a oportunidade de conhecer pessoas legais. Conhecemos um casal de São Paulo, a Jennifer e o Matheus, no segundo dia de cruzeiro e fizemos diversas programações junto com eles e depois com mais outros casais que conhecemos nos 2 últimos dias…

Esse jornalzinho que eles colocam no quarto todos os dias é traduzido para várias línguas. Nos primeiros dias recebemos em inglês mas depois nosso camareiro soube que éramos brasileiros e passou a colocar em português.

O Oasis tem 3 grandes áreas sociais principais: a Royal Promenade, uma rua central coberta, onde fica a pizzaria Sorrento’s, o Café Promenade (ambos gratuitos), a loja do Dutty Free, o Starbucks, as joalherias, o Guest Service, etc… ; o BoardWalk, uma espécie de reprodução de um típico Píer da Califórnia, onde fica o Carrossel, a sorveteria Ben&Jerry’s, o restaurante mexicano Sabor, o Jonny Rockets, o Aqua Theater, etc…; e o  Central Park que, para mim, é um dos lugares mais bonitos do navio. Ele é cheio de plantas naturais, sonzinho de grilo, onde ficam os restaurantes Giovanni’s Table e 150 Central Park, além de algumas lojas. As outras áreas sociais são as piscinas, entre elas a Solarium Pool, onde apenas maiores de 16 anos podem freqüentar. É uma área com piscina, jacuzzis, bar, um restaurante de comidas mais saudáveis (Solarium Bistro) e espreguiçadeiras para relaxar olhando para o mar. Esse era nosso lugar preferido no navio! Um excelente lugar para assistir o pôr do sol. Ah e tem ainda o Vitality Spa, onde fica a academia, muito bem equipada. Fomos dois dias na academia aliviar a culpa da comilança… hehehe!

Essa acima é a Royal Promenade. É esse o primeiro lugar que você conhece quando entra no navio, pois eles abrem uma enorme porta lateral para embrarque/desembarque. Foi aí que logo no primeiro dia compramos um passeio em terra (vou falar mais no próximo post) e o pacote de bebidas.

Alguns personagens, como o Shrek e o Gato de Botas passeiam pela Royal Promenade e você pode tirar foto com eles. Na verdade esses personagens fazem parte de DreamWorks Experience, onde os personagens fazem desfile, interagem com as crianças (e adultos também, rs), etc…

Essas três fotos (uma acima e duas abaixo) são no Central Park do Oasis. Um dos lugares mais lindos do navio, na minha opinião. TODAS as plantas são naturais! E junto com a gente nas fotos estão a Jennifer e o Matheus, o casal de São Paulo que conhecemos no navio. Essas duas fotos não estão muito boas porque a pessoa que tirou estava meio empolgada, sabe… tirou umas 10 fotos e todas sairam assim… rs!

Essas duas fotos são do BoardWalk, um lugar suuuper agradável do navio! Um clima bem de Pier da Califórnia mesmo. Aquela piscina meia-lua lá no final é o Aqua Theatre, onde acontece o espetáculo Oasis Of Dreams.

Abaixo foto com a piscina do espetáculo Oasis Of Dreams ao fundo, no Boardwalk. Os artistas na piscina estavam ensaiando!

Solarium Pool… esse eu acho que foi o lugar que mais passamos nosso tempo dentro do navio nos dias de navegação! Acima, eu tomando meu super drink no abacaxi e abaixo o Raul tomando uma das muitas cervejas que ele experimentou durante o cruzeiro.

Ainda na Solarium Pool… já durante o pôr do Sol em uma das namoradeiras…

 Vista do Pôr do Sol na Solarium Pool <3

E olha nós aí em cima fazendo um transport na academia! Gente, tentamos fazer esteira, mas não conseguimos porque o navio estava balançando bastante.

Acima mostro uma das áreas de piscina do navio. A piscina é de água salinizada e não tem bordas altas, é tipo uma praia. Conforme o balanço do navio, a água vai e volta, tipo ondinhas de praia mesmo.

Para quem está viajando com crianças, existe uma área com piscinas infantis e vimos muitas crianças se esbaldando por lá. Também há uma área para adolescentes, com vários jogos, entre eles Guitar Hero, mesa de disco Hockey, etc.

A grande vantagem do Oasis é que suas diversas áreas temáticas, piscinas e Jacuzzis ficam espalhadas, o que não concentra muitos passageiros em um lugar só!

Olha nós aí na jacuzzi!! Uma das atividades mais relaxantes que experimetamos durante o cruzeiro foi assistir ao por do Sol, em alto mar, dentro dessa jacuzzi aquecida, tomando um drink… foi demaaaaaais!!!

Além das piscinas e jacuzzis, o Oasis tem duas paredes de escalada de 4 metros, 1 tirolesa com 25 metros de altura, quadra de basquete, pista de patinação no gelo, campo de mini golf e uma das atividades que mais gostei: o simulador de surf FlowRider!!! Olhem as fotos:

 Primeira tentativa….

Parece facil né? rs!! Mas a pressão da água é muito forte e quando você desequilibra da prancha é cuspido para trás! Mas não se preocupem, é tudo emborrachado e acolchoado. Caí várias vezes e não me machuquei. Na verdade é muito divertido! Ah, as meninas que forem tentar, aconselho que usem uma blusa por cima do biquini, porque sai tudo do lugar! Vimos uma japa ficar sem a parte de baixo do biquini :O

Você pega uma pulseirinha alí mesmo e vai no flowrider quantas vezes quiser! Fomos um pouco depois do almoço e passamos a tarde ali brincando num dos dias que o navio ficou 48 horas navegando sem paradas.

E para os mais corajosos e habilidosos, do outro lado tem um Flowrider que você surfa em pé. Esse eu nem tentei, porque seria estabaco certo! Vejam a habilidade da pessoa abaixo:

Como funciona o esquema dos RESTAURANTES?

Existem restaurantes que estão incluídos no valor do pacote do cruzeiro e outros que são pagos à parte.

O café da manhã é servido no restaurante principal, o Windjammer, no Wipeout Café, no Park Café e no Solarium Bistrô, sem nenhum custo à parte.

Todos os dias tomamos café da manhã no Windjammer, pois foi onde encontramos o café mais completo entre todas as opções. Adoramos a batata tipo hash browns, típica americana com uma fatia de american cheese em cima… humm! Ah, e detestamos o café preto! Eu tomava sempre o achocolatado de caixinha ou em pó e/ou suco.

 Nosso café da manhã no Windjammer

O almoço, incluído no pacote, é servido no restaurante principal, o Windjammer, no Wipeout Café (somente pizza, hambúrguer e cachorro quente para montar na hora), no Park Café e no Solarium Bistrô, todos esses sem nenhum custo a mais. Se preferir outras opções, os restaurantes pagos abertos para almoço são: Johnny Rockets, Sabor, Giovanni’s Table e Vintage/Tapas.

Na maioria dos dias almoçamos no Windjammer. A comida era Ok. Já fiz um outro cruzeiro que a comida era bem sofrida, então esse até me surpreendeu positivamente. Sempre tinham opções de massa com molhos à parte e opções variadas de carne (frango, peixe, bovina, suína…). Na volta de duas paradas perdemos o horário do almoço e tivemos que almoçar no Wipeout, que fica até mais tarde aberto, mas é fast food total! Teve ainda um outro dia que perdemos o horário do almoço no Windjammer e lanchamos no bar mexicano, o Sabor Taqueria, que fica no BoardWalk. Experimentamos uma generosa porção de nachos com guacamole feito na hora. Esse bar mexicano é pago à parte, mas é super em conta.

O Jantar é dividido em três restaurantes principais à La carte , o Silk, o American Icon Grill e o The Grande. O nome do restaurante em que você vai jantar toda noite vai estar escrito no cartão magnético que abre a porta do seu quarto. Na verdade todos estes são o mesmo restaurante, dividido em três andares. Também tem o jantar informal no Windjammer, self service.

Nosso restaurante era o Silk, mas na verdade todos eles servem o mesmo cardápio, que é bem variado e muda todas as noites. Mas tem fixo no cardápio umas duas opções de entrada, umas três opções de prato principal e umas 2 de sobremesa. Essas opções fixas são tipo coringas para quem não quer um prato muito elaborado, tipo uma salada caesar de entrada e uma massa com molho pomodoro no prato principal. A porção servida é bem pequena, mas você pode repetir quantas vezes quiser quais e quantos pratos do cardápio quiser. O cardápio que mais gostei foi o do penúltimo dia, que foi o dia do jantar formal e tinha opção de lagosta. Uma delícia!!

Esta é a foto do prato principal do nosso primeiro jantar! Eu escolhi bacalhau com purê de batatas e legumes. Estava uma delícia! Apesar de não vir muita quantidade, como falei, você pode repetir quantas vezes quiser e se quiser pode variar os pratos também.

Ah! sobre o jantar formal e jantar com o comandante, tem de tudo! As americanas mais velhas e mais tradicionais fazem penteado e vão de longo. Alguns homens vão até de smoking branco. Mas a maioria não vai tão formal assim. Um vestido bonito, curto e mais arrumado com um saltinho já está de bom tamanho. Para os homens uma calça social + camisa social + sapato está Ok.

Se não quiser jantar nos restaurantes que estão inclusos no pacote, você pode optar por qualquer um dos sete restaurantes presentes no navio, pagos à parte: Vintages/Tapas, Chops Grille, Giovanni’s Table, Solarium Bistrô, Izumi/Hibachi Restaurant, Sabor ou 150 Central Park. Para jantar em qualquer um destes restaurantes, aconselha-se fazer uma reserva com antecedência.

Nós jantamos no Giovanni’s Table, um Italiano maravilhoso que fica no Central Park do navio. O preço é fixo. Pagamos 35 dólares, só não tenho certeza se foi cada um ou o casal. Confesso que nos surpreendemos com o preço ótimo para a qualidade oferecida. No menu escolhemos uma entrada, um prato principal e uma sobremesa. Atendimento impecável, comida bem servida e deliciosa!

Jantar no Giovanni’s Table: acima a entrada com camarões, batata e aspargos.

E o prato principal que escolhemos foi risoto de cogumelos com aspargos e lascas de parmesão. Para acompanhar, vinho branco.

Outra coisa bem legal que fizemos no Oasis foi aproveitar os bares com música ao vivo. Tinha um bar, o Dazzles, que cada dia tinha um tema diferente… tinha noite que era Flashback dos anos 80, outro dia era tributo a Michael Jackson… e por aí vai… a banda  que toca nesse bar é ótima! Depois de uns drinks dá até para arriscar uns passos de dança… hehehe. Tem um outro bar bem interessante, o O Rising Tide,  que enquanto você conversa e toma uns drinks, ele sobe e desce por 3 andares… é bem legal!!! E tem uma boate que só fomos uma vez, mas que foi bem animado porque fomos com outros brasileiros e um casal de Porto Rico que mora em Miami. Na verdade o DJ não era dos melhores e quando fomos pedir para ele tocar uma música, ele deu a entender que tocaría se dessemos uma gorjeta, é mole? :O

The Brazilian Gang + 2!

Matheus, Jennifer, Alex e Marcela (casal de Brasilia que conhecemos durante um dos jantares do navio), Raul and Me! 🙂

Para todas as idades e nacionalidades!

O público do Oasis é bem variado… tinham famílias (pai, mãe, filhos, avô, avó, tias…), casais jovens, casais mais velhos, casais aposentados, casais com crianças, casais com adolescentes… E gente do mundo inteeeeiro! Dentro do navio que estávamos, se não me engano, os brasileiros eram a 4ª ou 5ª maior população à bordo.

Nossa cabine

Comentei no post anterior, Oasis #1, que tivemos um problema com nossa cabine e fomos transferidos para o deck 14. Na verdade compramos uma cabine com vista para o mar, mas diante dos percalços, fomos transferimos para esta outra cabine, que não tinha vista para o mar, mas tinha varanda com vista para o Central Park.

Não reparem a baguncinha, ok? 🙂 Tirei essas fotos na última noite e as roupas do dia seguinte tinham que ficar separadas por causa das malas que, a princípio, ficariam no corredor para serem recolhidas (vou falar sobre isso mais abaixo).

Cabine sem varanda com vista para o mar X Cabine com varanda e com vista para o Central Park:

O tamanho internos delas era igual e elas eram idênticas. A única diferença entra as duas é que uma tinha um janelão de vidro redondo e a outra tinha uma varandinha com mesinha e cadeiras. Ah e a vista, né!

Acima, na varanda na nossa cabine, no deck 14. Abaixo a vista da nossa varanda.

E a internet?

A princípio, eu me neguei a comprar o pacote de internet. Entrei no navio meio que no clima “detox” digital e pensei: “só vou usar internet nas paradas do navio”. E esse pensamento se confirmou quando soube o valor do pacote: 140 dolares por 7 noites, e com direito a registrar até 2 dispositivos. O Raul não fazia questão, então despilhei. Poréééém… tudo mudou no segundo dia! Conhecemos o casal de SP, a Jennifer e o Matheus, e eles estavam na mesma situação que nós: ela adorava internet, ele não fazia questão e ela também estava pensando em usar o wifi nas paradas, maaaas…. na nossa primeira parada, nas Bahamas, NÃO TINHA INTERNET! Então Jennifer e eu combinamos o seguinte: quando chegasse no navio, compraríamos o pacote de internet, eu registraria meu celular e ela registraria o dela e a gente dividiria os 140 dolares, 70 para cada uma. Assim fizemos e ficamos felizes! Rsrsrs

A internet funciona maravilhosamente bem dentro do navio, em todos os lugares! É suuuper rápida e não tive nenhum problema!

Os preços dos pacotes praticados em Fevereiro/Março de 2015 estão abaixo:

– $140 dolares: internet ilimitada, durante todo o cruzeiro para 2 dispositivos.

– $105 dolares: internet ilimitada, durante todo o cruzeiro para 1 dispositivo.

– $29,95 dolares: Internet por 24 horas consecultivas.

-$29,95 dolares: Internet por 60 minutos não consecultivos, que pode ser usada ao longo dos dias de cruzeiro – você pode deixar desligada e ligar apenas quando for usar.

E vale avisar que lá para o quinto dia de cruzeiro eles começam a fazer promoção de intenet para quem resistiu até o momento! Não foi o meu caso… hehehe!

O desembarque…

Existem três tipos de desembarque:

1. Saída express: se optar por este meio, você será um dos primeiros hospedes a sair do navio, – entre 6h30 e 8h00 da manhã – sairá carregando sua própria bagagem e irá direto para alfândega. Não há funcionários para te ajudarem no desembarque das bagagens – não precisa deixá-la no corredor na noite anterior – e você precisa estar isento de impostos para escolher este meio.

2. Com excursão após o embarque: se você comprou alguma excursão com a Royal Caribbean para fazer após o desembarque, esta é a opção que você deve escolher.

3. Hospede Independente – saída por grupos, com hora marcada: se você não marcou nenhuma excursão com a Royal Caribbean, não tem pressa de sair do navio e/ou está com muitas bagagens e não quer desembarcar com malas, esta é uma boa opção para você. Se optar por este meio de saída, deve escolher o horário pré-fixado em que se adequa melhor. Os horários vão de 8h15 até 10h45 da manhã divididos de 30 em 30 minutos. Neste caso, na noite anterior ao desembarque,  você deve deixar suas bagagens no corredor em frente à sua porta, devidamente etiquetadas. E lembre-se de separar uma roupa e uma necessaire com tudo que você vai precisar no dia seguinte de manhã, pois suas malas não estarão mais com você!!! Quando desembarcar, você pega sua bagagem no terminal e segue para a alfândega.

Os assistentes de cabine deixam um formulário no quarto e você deve preenchêlo com a sua opção e deixá-lo na porta para que o assistente leve de volta, ou entregar o formulário no Guest Service.

Outros detalhes como horarios especiais de café da manhã no dia da saída, etiquetas para as malas e todo passo-a-passo, vocês podem ler no folheto informativo que o camareiro deixa no quarto. Lembrando que todos os folhetos e jornais informativos dentro do navio estão disponíveis em português – e várias outras línguas.

Abaixo mostro a foto do formulário de saída:

Gente, o que lembro até aqui é isso. Tentei colocar aqui todas as informções que senti falta procurando na intenet e espero que esse post ajude vocês de alguma forma!!

E se alguém tiver mais alguma dúvida e quiser entrar em contato comigo, fique à vontade!

Nos próximos três posts falarei sobre as três paradas do navio e o que fizemos em cada uma delas.

Bjs… Juh :*