Oi gente! Voltei pra terminar de falar sobre Veneza.

Comecei falando sobre a chegada em Veneza e a partida para Florença, como nos locomovemos e sobre a hospedagem. Se quiser ler este post, clique aqui.

Agora vou falar sobre o que fizemos no curto tempo que ficamos na cidade.

Processed with Snapseed.

Bom, em Veneza, tivemos pouquíssimo tempo, praticamente apenas um dia inteiro, então optamos por conhecer e fazer apenas o principal.  Vou destacar aqui os pontos que visitamos.

Piazza San Marco

Por incrível que pareça, a Piazza San Marco é a única praça de Veneza! A praça recebe este nos por ficar na frente da Basílica San Marco.Sempre lotada de turistas, tem vários restaurantes, cafés e lojas no seu entorno. Mais abaixo vou falar sobre um café centenário que fica na praça.

Processed with Snapseed.

Basílica San Marco

A Basílica San Marco é a igreja mais famosa de Veneza. A Basílica é aberta para visitações mas para isso prepare-se para enfrentar longas filas. Atente-se também aos dias e horários de funcionamento, que variam de acordo com a temporada: Novembro a Março: 9:45 – 16:45; Março a Novembro: 9:45 – 17:00; Domingo e feriados: 14:00 – 17:00.

Como nosso tempo era curto, deixamos para conhecer a igreja por dentro numa próxima visita.

img_6492fullsizerender-2

 

Ponte dos Suspiros

A ponte dos suspiros, apesar de muitos pensarem tratar-se de suspiros apaixonados, tem uma história bem diferente dos romances. A verdade é que esta ponte liga o Palazzo Ducale às Prigioni Nove, o primeiro edifício no mundo construído para ser uma prisão. Então depois de condenados os prisioneiros passavam por esta ponte a caminho da prisão e então davam os últimos suspiros olhando pela ponte, pela última vez, o mundo externo.

fullsizerender

 

Ponte Rialto

A Ponte Rialto, por ser a mais antiga que atravessa o Grand Canal, tornou-se também a mais famosa. Por muitos anos foi a única ponte a ligar os dois lados do Grand Canal. A ponte que já foi de madeira e já sofreu danos em diversos momentos, hoje é de pedra e recebe a visita de milhares de turistas.

 

Andar de Gôndola

Eu ainda me pergunto como tem gente que foi à Veneza e não andou da gôndola. Gente, POR FAVOR!!! Andem de gôndola, rs!!! Economiza no almoço, pega um vaporeto ao invés de um taxi, faz uma caixinha pré-viagem, mas NÃO DEIXE de viver essa experiência!

Se achar caro, vá numa gôndola compartilhada. Mas ande de gôndola. Vale a pena sim. Você está em Veneza!!! É como estar vivendo seu próprio filme!

Mas então vamos às dicas.

Existem vários pontos de gôndolas espalhados pela ilha. Os mais cheios e com filas de espera ficam próximos aos pontos turísticos mais badalados, como a Piazza San Marco e a Ponte Rialto. Mas tem outros gondoleiros que ficam nos canais menores e que tem menos movimento.

Escolhi a gôndola que fica em frente à Chiesa de San Moise, ou Igreja de São Moisés. Além de ser um ponto menos movimentado, achei as gôndolas lindas e muito bem conservadas.

Na gôndola cabem até seis pessoas, mas se for o caso, você pode pagar o passeio “particular” e aí vai só o casal. O preço é fechado: 80 euros independente de número de pessoas na gôndola. A diferença é que no passeio compartilhado, esse valor é rateado pelos ocupantes.

Nós fizemos o passeio particular: 80 euros por 30 minutos. Há quem diga que na baixa temporada os valores são negociáveis. Não foi o nosso caso. Passamos por pequenos canais, pontes e pelo Grand Canal. Não combinamos nenhum trajeto específico, mas se você quiser combinar, tem que ser antes de entrar na gôndola. Depois que você entra, já era! É o que o gondoleiro falar.

Dica: fiquem de olho no relógio para o gondoleiro não se aproveitar do seu deslumbre e fazer um passeio mais curto. Todos são bem espertinhos.

Processed with Snapseed. Processed with VSCO with a5 preset

img_1875 img_1924

Caffè Florian

Com quase 300 anos de existência, o Caffè Florian é um dos mais antigos presentes na Piazza San Marco. Vale a pena sentar ali numa mesa do lado de fora, à tarde e pedir um chocolate quente, observando a vida passar. Ahhh que delicia esse Dolce far Niente!

Site: caffeflorian.com

img_1806

 

Al Bottegon: Cantine del Vino Gia Schiavi

Atribuo os créditos da descoberta desse lugar ao meu marido. Ele adora descobrir lugares típicos para experimentar a cozinha local. Então, nas pesquisas dele, achou a indicação dessa Osteria. O lugar é estilo mureta da Urca: pede o petisco, a bebida e come do lado de fora, na mureta que beira no canal ou nos degraus da escadinha da ponte.

O Bottegon é um lugar super tradicional e premiado, e, serve basicamente cichetti, ou seja, pequenos aperitivos. Na vitrine ficam expostos diversos tipos de pães com pastinhas variadas: tem de bacalhau, azeitona, cogumelos, salmão, etc. É só pedir, pagar, pegar e comer: ou ali no balcão ou do lado de fora. Provado e aprovado!

img_6022 img_6023 img_6018 img_6015 img_6020 img_6016 img_6017

Osteria Ae Sconte

Descobrimos este restaurante despretenciosamente, porque ele fica bem próximo do local onde guardamos nossas malas (contei isso lá no primeiro post). O restaurante é simples, porém bem tradicional e tem um ótimo atendimento. Pedimos um spaghetti ao pomodoro e basílico que sem dúvida está entre os três melhores que experimentamos na viagem. ADORAMOS!! Para finalizar, fomos de Tiramissu, claro!

site: osteriaaesconte.it

obs: infelizmente, a fome foi maior e não deu tempo de fotografar o macarrão. Mas o Tiramissu está aí:

img_6039

Aqui encerro este post sobre Veneza.

Ainda faltaram muitos lugares para conhecermos, como por exemplo as ilhas de Murano e Burano, mas eu afirmo: só por ter andado de Gondola, para mim já valeu  a pena essa passadinha por Veneza!

Bjs, Juh 🙂